quarta-feira, 9 de novembro de 2011

SOBRE A VIDA E A MORTE



"Lembrar que estarei morto em breve é ​​a ferramenta mais importante que já encontrei para me ajudar a fazer grandes escolhas na vida.

Porque quase tudo - expectativas externas, orgulho, medo de passar vergonha ou falhar - estas coisas simplesmente somem em face da morte, deixando apenas o que é verdadeiramente importante. Lembrar que você vai morrer é a melhor maneira que eu conheço para evitar a armadilha de pensar que você tem algo a perder. Você já está nu. Não há nenhuma razão para não seguir seu coração. (...)
Ninguém quer morrer. Mesmo as pessoas que querem ir para o céu não querem morrer para chegar lá.


 E ainda a morte é o destino que todos compartilhamos. Ninguém jamais escapou dela. E isso é como deveria ser, porque a morte é muito provavelmente a melhor invenção da Vida. É o agente de mudança da Vida. Ela limpa o velho para abrir caminho para o novo.

Agora o novo são vocês, mas algum dia não muito distante, você gradualmente se tornará um velho e será varrido. Desculpe ser tão dramático, mas é verdade.

Seu tempo é limitado, portanto não o desperdicem vivendo a vida de alguém. Não caia na armadilha do dogma - que é viver com os resultados do pensamento de outras pessoas. Não deixe que o barulho da opinião dos outros cale a sua própria voz interior. E o mais importante, tenha a coragem de seguir seu coração e intuição. Eles de alguma maneira já sabem o que você realmente quer se tornar. Tudo o resto é secundário."
Steve Jobs - Sobre a morte e a vida!

9 comentários:

GJ disse...

Minha Amiga, o problema é que estas palavras verdadeiras, só nos chegam quando estamos mesmo a morrer.
Quando há dois anos o cancro me escolheu para repor o meu equilibrio fisico (chamemos-lhe assim), fiz alguma dessas reflexões sobre a vida e a morte, mas agora que caminho para a normalidade, a tendência é esquecer que andei perto da morte e fazer quase o mesmo de tudo. Sou mais tolerante e tenho uma postura mais benévola perante as ineficiências, mas não sei, se é devido ao perigo porque passei ou se é apenas a idade.;-)

Lucia Luz disse...

Minha querida amiga que gostoso lê-la aqui novamente.
Não acredito que dê para passar pelo cancro e continuar da mesma maneira.
Dia 5 último fez 1 anos que minha irmã tirou as duas mamas.
Hoje ela está ai na Europa celebrando esse ano que passou. Vejo que ela não é a mesma. Mas é melhor. Muito melhor.mais leve com ela mesma e se respeitando mais.
A idade creio que vai nos deixando mais ranzinzas e impacientes.
Viva a vida e nossa capacidade de reinventar!
Beijo pra lá de carinhoso.
Lucia

Jose Ramon Santana Vazquez disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
MARILENE disse...

Ele foi muito sábio em suas colocações e em seu exemplo de vida.
Pena que, muito do que já deveria ter sido divulgado a ser respeito, fiou aguardando reconhecimento póstumo.

Bjs.

Blog do Óbvio - Manoel disse...

Lucia Luz, amiga querida. Esse "cara" conseguiu revolucionar a utilização dos microcomputadores. Ele conseguiu colocar mil e uma utilidades para que fossem bem usados por usuários laicos em informática. Como disse a amiga MARILENE: Pena que deixaram acontecer a sua morte para propagarem os seus feitos.
Muito legal essa postagem.
Beijo carinhoso.
Manoel.

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Como diz a Grande Joia,as pessoas só se lembram disso quando percebem que morte está próxima, mas este seu post fez-me lembrar o caso de Duarte Lima, o advogado português acusado de ter cometido um crime aí no Brasil.
Esteve a morrer com uma leucemia, foi salvo por uma doação da medula do irmão e, se a justiça brasileira estiver certa,de nada lhe serviu a proximidade com a morte. Bem pelo contrário...
Beijo, querida Luz

Lucia Luz disse...

Marilene

Isso é um hábito muito comum no ocidente. Uma pena mesmo!
Beijinho

Lucia

Lucia Luz disse...

Manoel querido

Um gênio! Traduziu desejos de maneira simples.
Como comentei com a Marilene, um hábito ocidental.
Valeu!
Beijinho com polenguinho.

Lucia

Lucia Luz disse...

Carlos querido,
Infelizmente há essas pessoas que não aprendem por nada!
Também sou doadora de medula.
Beijinho carinhoso

Lucia