segunda-feira, 8 de junho de 2009

COMPAIXÃO

Cada vez que ouço uma coletiva ou reportagem sobre pessoas, peças e objetos pessoais que estão sendo resgatados pela marinha e aeronáutica mais compaixão sinto dos familiares.
A sensação é de dor em conta gotas.
Remexer a dor a cada boletim divulgado, não deve ser nada fácil.
Ontem uma mãe disse que preferia que a filha ficasse aonde está. Entendo-a perfeitamente.Lá elas ficariam em paz.
E eu que não conhecia ninguém no voo, fico com a sensação de vazio e tristeza.
Quantos sonhos, quantas alegrias, quantos planos viajavam nesse voo.
Acho que vou seguir a Pitanguinha e chorar um pouco.

8 comentários:

Pitanga Doce disse...

Luz, vi a reportagem que falas e tive vontade de abraçar aquela mãe com toda a sua dor.

Como pode, meu Deus?

Luciana disse...

É realmente uma coisa muito trsite, uma fatalidade. E não adianta falarmos pra nós mesmos que foi assim porque tinha que ser. Não acredito nisso. Penso que tragédias como essa não podem ser responsabilidade de Deus, que era a hora da pessoa e tudo mais. Acredito em falha humana, falha mecânica... imprevistos. Deus não levaria um bebê ou uma criança simplesmente porque estavam por acaso naquele voo.
Enfim, só nos resta orar muito por todos os envolvidos nesse acidente, inclusive pelos familiares e amigos que ficaram.

É realmente uma situação muito triste...

Mike disse...

Deixo aqui o meu sentimento de pesar, Lucia.

Luz disse...

Pitanga querida

Também tive essa mesma vontade e compaixão.
Tão duro, tão difícil...

Luz disse...

Luciana

Realmente temos que pedir muito por todos que se foram e pelos que ficaram.

Luz disse...

Mike
Obrigada pela solidariedade

Lisa Nunes disse...

Lu, não aguento mais ligar a TV e ver essa história da queda do avião. É tudo muito triste, ainda por cima, os parentes vão ter que reconhecer os corpos? Será que essas pessoas terão estrutura pra isso? Que DEUS dê muita força a todos familiares nessa hora.

Luz disse...

Lisa é tudo muito triste sim.
Pelo que li as famílias não vão precisar reconhecer os corpos. Eles serão reconhecidos por exames de DNA, arcada. A família só reconhecerá pertences pessoais( anel, pulseira,brinco)
É preciso muita força e oração para todos.