segunda-feira, 30 de março de 2009

A HISTÓRIA DO LAPIS

A HISTÓRIA DO LÁPIS
Rabino Benjamin Zagury

O menino olhava a avó escrevendo uma carta e a certa altura perguntou:
- Você está escrevendo uma história que aconteceu conosco vovó?E, por acaso é sobre mim?

A avó parou a carta , sorriu e comentou com o neto:
- Estou escrevendo sobre você, é verdade. Entretanto, mais importante do que as palavras é o lápis que estou usando. E eu gostaria que você fosse como ele , quando crescer.

O menino olhou para o lápis e não viu nele nada de especial.
- Mas ele é igual a todos os lápis que já vi em minha vida vó.
A vó respondeu:

Tudo depende do modo como você vê as coisas.
Há cinco qualidades nele , que se você conseguir mantê-las, será sempre uma pessoa em paz com o mundo:

PRIMEIRA QUALIDADE: você pode fazer grandes coisas, mas não deve esquecer nunca que Deus existe e que é essa " mão" que guia seus passos e que Ele deve sempre conduzí-lo à Sua vontade.

SEGUNDA QUALIDADE: Algumas vezes é preciso parar o que se está escrevendo e usar o apontador. Isso pode parecer que o lápis sofra um pouco, mas no final ele estará mais afiado. Portanto saiba suportar algumas dores, porque elas o farão ser uma pessoa melhor.

TERCEIRA QUALIDADE: O lápis permite que usemos uma borracha para apagar aquilo que estava errado. Entenda que corrigir algo que fizemos não é algo mau, mas algo importante para nos manter no caminho da justiça.

QUARTA QUALIDADE:O que realmente importa não é a madeira ou a forma exterior do lápis, mas o grafite que está dentro da madeira. Portanto, sempre cuide daquilo que acontece dentro de você.
E finalmente, a QUINTA QUALIDADE: o lápis sempre deixa uma marca. Da mesma maneira, saiba que, tudo na vida, irá deixar marcas. Procure ser consciente de cada ação sua.








6 comentários:

Pitanga Doce disse...

Estou aqui pensando quantas vezes usei a borracha!

Luz disse...

O texto vale com reflexão mesmo.
A borracha, as marcas,saber usar o apontador.
Beijos escritos a lápis.

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

O problema, Luz, é que hoje em dia toda a gente escreve no computador e perdeu a capacidade de pensar nas propriedades do lápis.
Belo post!

bacouca disse...

Luz,
Lindo texto e como se dá tanto a reflectir, usando, que engraçado uma coisa tão simples mas que como diz Carlos Oliveira hoje já não se vê muito - o lápis. Por causa dele a Avó descreveu os 5 fundamentos para uma vida feliz!
Eu não uso borracha. O difícil é que penso no erro, fico arrependida e depois...rasgo, para não ter remorsos!

Luz disse...

Carlos,
Uso o computador MUUUIIITO. Mas não dispenso meus lápis e canetas.
O prazer que sinto na escrita a caneta ou lápis é insubstituível!
Talvez o autor tenha escrito justamente pra nos ajudar a lembrar de pensar nas propriedades esquecidas do lápis.
Beijo e obrigada

Luz disse...

Bacouca
Tava com saudades!!!
Pra mim esse é um dos ensinamentos do textos. Ou uma sexta qualidade: olhar o simples e ver o " profundo".
Eu apago.Algumas vezes ficaram marcas. Mas não rasgo.Prefiro lembrar-me para não errar novamente.
Beijinho carinhoso