quinta-feira, 30 de julho de 2009

MÁRIO QUINTANA - 103 ANOS DE POESIA PURA


MARIO QUINTANA POR MARIO QUINTANA
( texto escrito pelo poeta para a revista Isto É de 14/11/1984 )

Nasci em Alegrete, em 30 de julho de 1906. Creio que foi a principal coisa que me aconteceu. E agora pedem-me que fale sobre mim mesmo. Bem! eu sempre achei que toda confissão não transfigurada pela arte é indecente. Minha vida está nos meus poemas, meus poemas são eu mesmo, nunca escrevi uma vírgula que não fosse uma confissão. Há ! mas o que querem são detalhes, cruezas, fofocas... Aí vai ! Estou com 78 anos, mas sem idade. Idades só há duas : ou se está vivo ou morto. Neste último caso é idade demais, pois foi-nos prometida a eternidade.

Nasci do rigor do inverno, temperatura : 1 grau; e ainda por cima prematuramente, o que me deixava meio complexado, pois achava que não estava pronto. Até que um dia descobri que alguém tão completo como Winston Churchill nascera prematuro – o mesmo tendo acontecido a Sir Isaac Newton ! Excusez du peu.

Prefiro citar a opinião dos outros sobre mim. Dizem que sou modesto. Pelo contrário, sou tão orgulhoso que nunca acho que escrevi algo à minha altura. Porque poesia é insatisfação, um anseio de auto-superação. Um poeta satisfeito não satisfaz. Dizem que sou tímido. Nada disso ! sou é caladão, instrospectivo. Não sei por que sujeitam os introvertidos a tratamentos. Só por não poderem ser chatos como os outros ?

Exatamente por execrar a chatice, a longuidão, é que eu adoro a síntese. Outro elemento da poesia é a busca da forma (não da fôrma), a dosagem das palavras. Talvez concorra para esse meu cuidado o fato de ter sido prático de fármacia durante 5 anos. Note-se que é o mesmo caso de Carlos Drummond de Andrade, de Alberto de Oliveira, de Erico Veríssimo – que bem sabem ( ou souberam) , o que é a luta amorosa com as palavras.

Mario Quintana ( texto escrito pelo poeta para a revista Isto É de 14/11/1984 )


"Convém que se repita...
Só em linguagem amorosa agrada
A mesma coisa cem mil vezes dita."

Mario Quintana


"O amor é quando a gente mora um no outro."

Mario Quintana

"Um bom poema é aquele que nos dá a impressão
de que está lendo a gente ... e não a gente a ele!"

Mario Quintana

A VERDADEIRA ARTE DE VIAJAR

A gente sempre deve sair à rua como quem foge de casa,
Como se estivessem abertos diante de nós todos os caminhos do mundo.
Não importa que os compromissos, as obrigações, estejam ali...
Chegamos de muito longe, de alma aberta e o coração cantando!

Mario Quintana

...O luar é a luz do sol que está dormindo...

Mario Quintana



Parabéns meu querido Mário Quintana.

Eh Mário, sou apaixonada por ti.
E por isso vim hoje aqui,
Para lhe beijar como um bem ti vi!

Lucia Luz

8 comentários:

Lisa Nunes disse...

LUZCIA,
que linda homenagem fizeste ao nosso poeta preferido! Ontem fui assistir a peça Sobre Anjos e Grilos, lá na Casa onde ele viveu seus últimos dias de vida. O texto é muito interessante e nos leva a reflexão sobre a vida e os valores que realmente importam.
Um beijo Grande e um lindo fim de semana pra você, com tudo de bom

Mike disse...

Pronto! Com essa eu entrego os pontos. É que eu sou o maior fá de Mário Quintana que existe na Terra. Não, não discuta, menina... sou eu e não se fala mais do assunto, ok? (risos)

E Lisa, não vem que não tem. Você também não tem como discutir, viu?. Sou eu! (mais risos)

Dulce Braga disse...

Dias atrás vc me fez lembrar uma frase de Quintana qdo postou uma foto de caipirinha e escreveu:"Esse sábado quero caipirinha, jazz, uma bela poesia e muita alegria!", pq ele escreveu um dia:"Só se deve beber por gosto: beber por desgosto é uma cretinice" !!

Luz disse...

Lisa

Eu imagino que a peça deve ter sido bárbara!
Quintana é encantamento em prosa e em verso.
Beijo grande e aproveite muito o final de semana

Beijoca

Luz disse...

Mike ficamos assim; você é O maior fã e eu A maior fã. OK? ( risos)
E fiquei feliz por ter entregue os pontos, as vírgulas...( risos)

Luz disse...

Dulce

Não falo? Ele era o cara! Sabia tuuudo.
Beijinhos

bacouca disse...

Luz,
Só o texto do próprio Mário Quintana traduz o Homem!
E adorei o verso (esqueci-me o nome em japonês) que você lhe dedicou.
Um beijinho

Luz disse...

Bacouca

Realmente achei o tetxo perfeito e a cara dele.
HaiKai é o nome.
Beijinhos