terça-feira, 10 de novembro de 2009

Nossos Pais Idosos



Cuido de minha mãe de 84 anos e posso afirmar que crianças e velhos dão trabalho.
Um trabalho que vale a pena! Pode existir melhor forma de gratidão a quem me deu a vida?
Engraçado é que atualmente passei a perceber claramente a “troca” emocional inconsciente que há entre nós duas.
Minha mãe é o espelho de minha mortalidade. É a sabedoria. É a história da minha vida no olhar de outra geração. Minha conexão com o passado e com o futuro.
É para onde estou caminhando.
Eu sou o eco de juventude dela. A fonte de alegria e de energia. Sou sua conexão com o futuro.
Com isso nós duas ganhamos.
Conhecemos melhor o passado e ganhamos sabedoria para lidar com nosso futuro.

16 comentários:

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Tem piada, que ainda ontem estive a ver uma reportagem, onde se dizia que as filhas envelhecem como as mães. Curiosamente, isso nem sempre acontece com os rapazes e os pais..

Lisa Nunes disse...

Luzcia querida
que belo texto para refletirmos.
Escreves com a alma, por isso tuas palavras nos tocam tanto. Gosto muito daqui. beijinhos e boa quarta
Lisa

Carlos, será mesmo que os filhos homens não refletem os seus pais, a medida que o tempo vai passando? eu vejo isso claramente nos meus 2 irmãos. Cada um deles, tem um pouco do meu pai, inclusive os defeitos.

Luz disse...

Carlos querido

Preciso concordar com a Lisa. Minha vivência é de filhos que envelhecem como os pais. Alguns modificam com a " aprendizagem" para não cair nos mesmos erros...

Luz disse...

Lisa,
Obrigada pelo carinho e gentileza de sempre.
Uma reflexão pessoal também.
Gosto de tê-la aqui.
Beijos

Si disse...

Nem de propósito, logo hoje, despedi-me para sempre de uma pessoa que viveu quase até aos 90 anos....
E este seu texto reflecte precisamente aquilo que eu sinto, em relação a vários elementos da minha família que caminham - ainda que de boa saúde, felizmente - para este inverno da vida, que tanto precisa do nosso calor.

bacouca disse...

Luz,
A partir de uma determinada altura existe na verdade uma simbiose enorme entre Mãe e filha. Como você diz representam os pilares do nosso passado e em nós elas sentem o pulsar do futuro, da continuidade.
Beijo

Mike disse...

Nossa, Luz... fiquei p. da vida comigo depois de ler este post, sabia? É que não cuido da minha mãe de 81 anos como você cuida da sua. E devia.

Pitanga Doce disse...

Luz, por enquanto ainda não preciso cuidar da minha mãe no verdadeiro sentido, mas ela já começa a nos preocupar porque sabemos que precisa de "outros cuidados" e ela não admite. (se é que me entendes) Isso é mais difícil ainda.

beijos e que bom ver-te de volta!

Catarina disse...

Costumo vir ler, mas hoje não resisti e tenho de escrever. Cuidei de minha Mãe até morrer aos 94 anos, bastante lúcida ainda. Lutei sempre com a ideia de a mandar para um lar, como era desejo de alguns membros da família, por isso ela morreu tranquilamente, na sua cama, como um passarinho... Acho que estou cada vez mais parecida com ela e isso só me dá consolo. E os filhos também ficam parecidos com os pais...

Luz disse...

Si,

Meu pesar pela despedida.
Concordamos e ecoamos os mesmos sentimentos.
Calor é muito necessário
beijinhos

Luz disse...

Bacouca minha amiga querida

E como é boa essa troca. Como me nutre!!!
Beijinhos

Luz disse...

Mike

Só de ter percebido isso você fez uma grande conquista,
Elas dão trabalho...mas vale a pena.
Vá lá...ainda é tempo.
beijinhos

Luz disse...

Pitanguinha querida

Que saudades!
Te entendo perfeitamente já passei e ainda passo por isso.
Dá um trabalho de cão mesmo.
Mas acredite é a adolescência de volta! Uma idolescência( risos)
Beijinhos

Luz disse...

Catarina querida
Seja muito bem vinda!
Cuidava de meu pai que faceceu aos 94 tamb´m. E é tão bom pro meu coração saber que pude dar tudo que podia a ele e fazer da despedida um momento de boas lembranças, apesar de toda dor.
Ele é meu guia. Minha luz.
Assim como você jamais conseguiria colocá-los num lar...
Venha sempre. Fiquei muito feliz com seu comentário.
beijinhos

Evandro Varella disse...

Que bom que você descobriu isso há tempo de fazer essa troca.
Eu tive de reconciliar com meu pai depois dele ter ido, sem duvida foi mais dolorido.
Bjs

Luz disse...

Evandro,

Tenho essa sorte mesmo.
Imagino como deve ter sido dolorido.
E ainda mais...que tem o Dudu para ter uma relação impar e diferenciada.
Beijinhos